Amarras

Existe um tipo de preconceito que não é tão comentado,
mas que dói muito também: o autopreconceito,
que é quando não aceitamos um nosso lado
e queremos esconder algo único de nosso jeito.

Pode ser a idade, nossa aparência,
o que fazemos de nossas vidas ou nossa essência.
É quando de nós mesmos duvidamos.
É quando ficamos presos na comparação e nos rebaixamos.

Esses pensamentos de autorrejeição são como amarras
que nos torturam e só nos geram ansiedade,
desgosto, insatisfação e são como pesadas barras
que colocamos em nós mesmo para tentar caber na sociedade.

Por isso, não espere de se mudar para outro país,
nem pense que o problema está onde você está,
porque tudo que você precisa é olhar para dentro, para sua raiz,
e esquecer dessas crenças limitantes para poder voar livre feito um sabiá.

Deixe uma resposta