Sol Apagado

Tem dias que só dá vontade de ficar de preguiça
e até ao urso que pode hibernar olhamos com cobiça.
Geralmente são os dias depois de uma dolorosa decepção
nos quais dá vontade de enfiar a cabeça como avestruz num buraco no chão.

Como seria bom ficar só enrolado no cobertor e com uma xícara de café,
escolhendo distração que pudesse desviar nossos pensamentos:
livro, série, redes sociais… qualquer coisa que desse contentamentos.
E só fica o desejo de nos compromissos dar o tomé.

Dias que estamos com a bateria mais baixa que celular sem carregador.
De um lado está nosso corpo sem querer sair da cama, todo procrastinador,
e do outro está o relógio nos chamando para mais um dia chato de trabalho.
Momentos que nosso sol está apagado e não há para nós nenhum atalho.

Por dentro de nós existe uma certa revolta
acumulada com tantas frustrações e autonegações vividas.
E uma hora tudo isso quer vir à tona e jorrar sem volta.
Não se pode reclamar de chefe ou do governo se há conosco mesmos tais dívidas.

Então, quando você estiver sem pique
se olhe com sinceridade no espelho e não se critique.
Aconchega-se com você mesmo e se prometa ser seu porto seguro:
saiba que o mundo é bem mais animado do que sua cama no escuro.

Por Gigi Pormei

Deixe uma resposta