O Lixo que Jogam sobre Nós

Há pessoas que aparecem em nossas vidas,
só para destruir as coisas por nós construídas;
apenas para nos tirar de nosso verdadeiro caminho,
que prometem rosas, mas só nos traz espinho.

Pessoas que têm o prazer de destruir,
que querem ver nossa autoestima ruir.
Gente que busca nossos pontos fracos;
que querem nos ver derrotados e com recursos parcos.

Cada dia é mais difícil acreditar no ser humano,
por medo de entrar mais um vez pelo cano.
Muitos por aí tem voz doce e mão quente,
mas que depois pisa sem ligar para o que se sente.

O mundo está cada vez mais poluído.
São muitas emoções sujas e pelas ruas há muito ruído.
Foi-se o tempo de paz.
E o mal corre por tudo de forma voraz.

Seria ótimo ter um raio-x
capaz de ver de cada um suas intenções na raiz.
Até quando meu coração vai aguentar
tanto lixo que estão em mim a jogar?

Muitos dizem que eu sou muito desconfiada,
mas ser arisca é melhor do que nas costas levar facada.
É melhor ter com todos olho-vivo
e assim meu coração proteger de conteúdo nocivo.

Muitos não entendem minhas dores,
mas eu sei as lembranças que eu tenho me trazendo os horrores
de tudo de ruim que eu tive que engolir e mesmo que digam que é drama,
eu não vou mais ouvir quem em mim só que jogar lama.

2 comentários

    • Agradeço muito pelo comentário, mas na verdade, cada poema ou conto aqui do blog fala a respeito da história ou ponto de vista de um personagem diante de questões da vida. (A personagem do poema também agradece pela torcida!)

Deixe uma resposta