A Secretária

Era meu primeiro dia de trabalho naquela empresa
e estava ansiosa esperando dar o meu melhor.
Só não esperava que eu fosse acabar presa
nas teias dos pesadelos o pior.

Meu chefe era um homem sereno e responsável por fora,
mas eu logo percebi que ele escondia algum segredo.
Sendo sua secretária, pude ouvir conversas que a qualquer um cora,
e logo suspeitei que ele se envolvia com coisas de dar medo.

Certo dia, precisei acompanhá-lo em uma viagem,
e apesar da insegurança, precisava do dinheiro, então aceitei.
Quando não trabalhava, entrei em uma intensa espionagem,
pois pelas ligações dele, logo percebi que era um fora-da-lei.

O meu problema passou a ser o que fazer:
se eu o denunciasse, poderia acabar me prejudicando,
ser difamada, demitida ou presa e isso estava a me enlouquecer,
e eu não sabia até quando em mim ele estaria confiando.

Afinal, não sei se ele me julgava ingênua ou relapsa,
mas deixava à vista provas de sua sonegação e envolvimento com tráfico.
Coisas que poderia levar à polícia e ser aquela que a seu alto nome colapsa,
ou ser aquela que de bico calado ficaria para evitar um mico.

Foi então que tomei a decisão mais adequada
e entreguei tudo à justiça e também à sorte.
Nunca gostei de coisa alguma errada
e preferia me manter correta até a morte.

Mas antes passei por meses de aflição,
até poder me sentir leve pelo dever cumprido.
Ainda bem que me mantive economizando após minha demissão,
e foi bom ver a cara daquele corrupto de sua liberdade despido.

2 comentários

Deixe uma resposta