5. Uns Festejam, Outros Treinam

Isso se não ébrios com vinho dos descansos festejados
com travessuras e danças em trajes ricamente forjados,
ao passo que os velhos adornavam o alpendre de suas moradas
com girassóis bem amarelos e com adagas afiadas e prateadas.
Assim, a lua era caixinha de música com diversões encerradas
em galerias sem raio solar odiado e por magias iluminadas.
Já na superfície era necessário defesa, pois o sol a encarava
e a Força Lunar, criada na guerra, em círculo se concentrava,
treinando com intensa disciplina suas técnicas em quartéis,
onde os soldados-magos tinham lagartos de montaria fiéis.

(Comente e compartilhe meu eBook “Sol e Lua: A Profecia dos Corações Carbonizados” e ajude a divulgar mais a poesia nacional! Ficou na curiosidade? Então continue no Link: https://gigipormei.com/category/meus-livros/sol-e-lua-a-profecia-dos-coracoes-carbonizados/)

Deixe uma resposta