7. Vendo a Face do Destino

Ao contrário de nós humanos com o destino nas mãos traçado,
volatiano não tem essa dádiva e é em suco sacerdotal banhado.
Mas só a elite tem privilégio de saber o que a vida lhe tramará,
e uma sacerdotisa batizadora esculpe isso e só sai de lá
com tabuinha de rocha leve e inscrita para dar ao seu dono.
Porém, a sorte da então Luniel foi transmitida a Onire em sono.
Ela estava ao lado da Cornucópia, e, no pavor de um assassínio,
ouvia voz espiritual dizendo do interior do artefato o vaticínio:
“Luniel tem este destino: executará o ato de colar lua quebrada.
E se sem amor, quando conhecer o sol por ele será queimada.”

(Continuação do meu eBook: “Sol e Lua: A Profecia dos Corações Carbonizados“. Link: https://gigipormei.com/category/meus-livros/sol-e-lua-a-profecia-dos-coracoes-carbonizados/)

2 comentários

    • Fico muito grata por estar gostando! ☺️ E adicionando ao seu bem observado comentário, essa realmente é uma história que tem também o gênero da fantasia científica. Então, carregando os símbolos de fantasia e misticismo está o povo da Lua, os volatianos, e toda a ciência e tecnologia fica com o povo do Sol, os dicurenses, que travam uma intensa guerra. Espero que continue apreciando! ❤️✨

Deixe uma resposta