Asas Imaginárias

Por Gigi Pormei

Desde pequena sempre amei observar os pássaros voando.
Suas asas abertas são como braços abraçando o mundo.
E quando meus problemas me jogavam em poço fundo,
eu fechava meus olhos e me imaginava junto com eles, me libertando.

E o céu foi se tornando automaticamente
a válvula de escape ideal para meus fora de controle pensamentos.
Assim que eu tinha crises de ansiedade, me levando a exaurimentos,
buscava uma janela ou saía apenas para vê-los e aliviar a minha mente.

Contudo, não conseguia mais viver presa no chão
e tudo que eu queria era selar com o vento o mesmo acordo
que sei que os pássaros fazem para se livrarem também de seu fardo gordo.
Até que ele sussurrou uma mensagem para meu angustiado coração.

Afinal se eu não conseguia controlar as coisas da terra,
e tudo sempre se opunha ao que eu queria fazer e ser como grades de uma jaula,
então era um sinal claro de que vivia no lugar errado e após muita aula,
me alistei no Exército – mas afim de resolver outro tipo de guerra.

Agora eu podia sair para missões no céu
e como animal que volta para seu habitat natural,
era só subir no avião e saltar com meu paraquedas que a paz sobrenatural
dos meus amigos de asas fazia voar para longe do meu espírito aquele escarcéu.

Deixe uma resposta