18. Grupos de Estudos Místicos

Sentiu-se boçal por achar que alguém morava naquelas rochas,
mas um rapaz branco como a montanha veio com tochas,
dando-lhe uma para iluminar a via até um pátio terroso perto,
onde ele pediu para ela escolher uma pedra em um baú aberto.
Pegou uma roxa, cor do mago e voltou ao rochedo sem portas,
só que com ele pôde entrar, e embora as paredes fossem tortas,
todos estavam na paz do branco que dominava qualquer cor.
O rapaz se separou e chamou uma turma que tocava tambor.
Usavam pedras também roxas e a saudaram sendo seu time,
mas como era tarde, levaram Luniel até sua cama de vime.

(Comente e compartilhe meu eBook “Sol e Lua: A Profecia dos Corações Carbonizados” e ajude a divulgar mais a poesia nacional! Ficou na curiosidade? Então continue no Link: https://gigipormei.com/category/meus-livros/sol-e-lua-a-profecia-dos-coracoes-carbonizados/)

Deixe uma resposta