20. Dois Caminhos

Entediada, saiu da classe, notando que o falar era malvisto
e que usavam telepatia para manter o silêncio tão bem-quisto.
Ao término do dia, cada um ia meditar e ao anoitecer,
teve insônia pela saudade, mas todos estavam a adormecer.
Sem opção, ela corria por um labirinto para a cabeça esvaziar.
Até deparar-se com alunas de pedra azul, no ar a gesticular.
Feliz, pois de certa maneira conversavam, foi fazer amizade
e ao adquirir aproximação, aprendeu essa útil habilidade,
e que os de pedra roxa eram quietos e da mente controladores,
já os da azul domavam os ares e eram bravos lutadores.
Luniel queria na verdade estar nas duas turmas visualizadas,
pelas lutas e comunicações e amenizar suas maneiras alopradas.

(Comente e compartilhe meu eBook “Sol e Lua: A Profecia dos Corações Carbonizados” e ajude a divulgar mais a poesia nacional! Ficou na curiosidade? Então continue no Link: https://gigipormei.com/category/meus-livros/sol-e-lua-a-profecia-dos-coracoes-carbonizados/)

Deixe uma resposta