Obrigada pelo Chute na Bunda

Há chutes que doem mais e há chutes que doem menos.
O importante é continuar o jogo serenos.

Só agora eu sei te dizer “Obrigada pelo chute na bunda”,
mas não pense que foi fácil para mim.
Passei muitos meses enfrentando dor profunda,
agonia que me embalava em noites sem fim.

Até meus pais me internaram em clínica psiquiátrica
e certo dia lembrando de quem eu era e dessa patética
imagem que virei, notei o preço de ser egocêntrica,
de não ver após a sujeira de você, de minha família a grande ética.

Muito briguei com meu pai,
achando que o conselho dele era banal.
De minha mãe apanhei com muito “Ai!
e mesmo assim, não via da razão dela nenhum sinal.

Só agora entendo que eles sim queriam meu bem
e que você só veio para me trazer o caos.
Há pessoas que seria melhor ter conhecido nem,
que não vive e fica parado que nem dois de paus.

Pena que não posso voltar atrás e resgatar os anos perdidos,
os mesmos que eu vivi orbitando ao seu redor.
Pelo menos foram ensinamentos muito bem aprendidos
de que é melhor um chute do que me abandonar na dor.

Por Gigi Pormei

Ai, esse Chute na Bunda…

Podemos chorar, podemos berrar após o fim de uma história com alguém, mas a verdade é que muitas vezes é a melhor coisa que poderia ter nos acontecido.

Olhando em cadernos antigos com poemas que agora estou postando nesse Blog, eu estou cada vez mais percebendo que o que antes parecia o fim do mundo naquela época, hoje vejo o tamanho da bênção escondida que havia naquele término e tal como a personagem da minha Poesia, também digo: “Obrigada pelo chute na bunda!”.

Inclusive após superar o luto do coração, porque também temos lutos emocionais e sentimentais, aprendi a ter uma bunda de aço até mesmo para os chutes que a própria Vida continuaria e continuará me dando porque faz parte do processo de crescer de qualquer ser humano.

Por isso, o importante é não nos apegarmos nessa dor e a cultuarmos como uma espécie de “deusa”, usando nossas lágrimas como velas para cultuá-la, não é mesmo?

Espero que curta essa Poesia e compartilhe com quem anda com o coração quebradinho e que também ainda não descobriu as bençãos desse chute na bunda!

2 comentários

  1. O grande mistério da vida é tomar no c*, sofrer, achar que o mundo não presta mais, aos poucos se levantar e lá na frente olhar para trás e dizer “superei”,”se não fosse a experiência ruim, não seria tão forte como sou hoje!”
    Belíssimo texto que não há vergonha em se expor tão intimamente!

Deixe uma resposta