29. Carta Sufocante

O réptil, os caminhos estreitos e a sombra indo depressa
arrepiaram Luniel ciente do perigo ao passar por travessa
e olhar em um vale todo perfurado pelos mísseis das naves.
A aurora já era antiga, e as aulas couberam-na como entraves
que não a deixaram perceber antes a tragédia de tantos meses.
Ocultaram a verdade quando perguntava sobre Dicuro às vezes
para que não fugisse antes da hora, contudo, evitou a tristeza.
Abriu o envelope com a carta da rainha cheia de franqueza
e com respostas que apertaram o coração dela feito manilhas.

(Comente e compartilhe meu eBook “Sol e Lua: A Profecia dos Corações Carbonizados” e ajude a divulgar mais a poesia nacional! Ficou na curiosidade? Então continue no Link: https://gigipormei.com/category/meus-livros/sol-e-lua-a-profecia-dos-coracoes-carbonizados/)

Deixe uma resposta