40. Sentindo-se em Casa em um Lugar Estranho

Animou-se com o garoto da sua outra espécie que se debatia,
e ao se desenrolar, bateu nela para fugir e fez da seda fatia.
Insultada, laçou os pés do afobado, como se faz com coelhos.
Afirmou ser volatiana, porém, tinha tomado poção e de joelhos,
cantou para provar trecho do hino lunar de inestimável orgulho:
“Nós até que podemos viver no meio do pedregulho,
mas nossas almas foram esculpidas pelo amor.
O que rege nosso passo é a fé, e o véu amparador
das santas sacerdotisas é nossa arma e escudo.
Assim, o olhar brilha tal o cristal que a todos deixa mudo,
pois somos rochas abençoadas contra o sol.”
Assim, reconheceu a moça que da honra de Volata era em prol.

(Comente e compartilhe meu eBook “Sol e Lua: A Profecia dos Corações Carbonizados” e ajude a divulgar mais a poesia nacional! Ficou na curiosidade? Então continue no Link: https://gigipormei.com/category/meus-livros/sol-e-lua-a-profecia-dos-coracoes-carbonizados/)

Deixe uma resposta