56. Abusando da Sorte

Equilibrou-se na chapa com as instalações e mirou curiosa
salas, equipamentos, radares, lançadores e bomba poderosa:
um centro bélico de Dicuro vazio – suspeitosamente ocasional.
Explorou silente e de metal estranho e lava era o arsenal
high-tech solar, e Luniel quis saber por que tantos botões,
fios, válvulas e engrenagens resistentes até a tubarões.
Eram arremessadores com espaços para objetos variados,
e perceberam neles dispositivos observadores focalizados.
Como os sensores viram só uma dicurense, saíram do alerta;
e, aliviados, seguiram na análise atravessando uma porta aberta.

(Comente e compartilhe meu eBook “Sol e Lua: A Profecia dos Corações Carbonizados” e ajude a divulgar mais a poesia nacional! Ficou na curiosidade? Então continue no Link: https://gigipormei.com/category/meus-livros/sol-e-lua-a-profecia-dos-coracoes-carbonizados/)

Deixe uma resposta