63. Heroína Insana

A criança pediu apavorada para ela achar uma boa escapatória.
Se se afastavam de tudo, o mesmo se dava com a erma vitória.
Raciocinar com as tiras batendo nos olhos era uma encrenca,
mas não para Lapilli que atirava preocupações nela em penca.
Até que Luniel notara que dos lados do projétil havia aletas,
logo, poderia direcionar o míssil por meio daquelas plaquetas
até ponto seguro, longe da cidade e onde conseguisse pular,
salvando-os antes de colidir com rochas e isso os matar.
Rapidamente ela usou os panos nas asas para um desvio
até o meio do mar e nadando, distanciaram-se por um fio.

(Comente e compartilhe meu eBook “Sol e Lua: A Profecia dos Corações Carbonizados” e ajude a divulgar mais a poesia nacional! Ficou na curiosidade? Então continue no Link: https://gigipormei.com/category/meus-livros/sol-e-lua-a-profecia-dos-coracoes-carbonizados/)

Deixe uma resposta