69. Na Encruzilhada

Se as viagens foram puro marasmo, essa inverteu a perspectiva,
berrando no fogo-fátuo disparado, mas contra sua expectativa,
não achavam a via que Lapilli passara, não dando para ir atrás.
O bicho fungava vapor, poluindo o ar com um fedorento gás
e estava incontrolável, pulando, e a atirou em uma encruzilhada.
Já desatado, bufou “Fique aí!”, e fugiu supondo estar em cilada
que ela o cansaria para sugar óleo, esgotando-lhe a vitalidade.
Ali não era o local que Lapilli vira, mas teria utilidade,
já que as estradas levavam para lugares sem incidência
como tremores e que talvez dessem no castelo com eficiência.

(Comente e compartilhe meu eBook “Sol e Lua: A Profecia dos Corações Carbonizados” e ajude a divulgar mais a poesia nacional! Ficou na curiosidade? Então continue no Link: https://gigipormei.com/category/meus-livros/sol-e-lua-a-profecia-dos-coracoes-carbonizados/)

Deixe uma resposta