Vestígios

A vida já em mim tanto bateu
que minha se espatifou sem vestígios.
Não há cacos dela e não sei onde ela se perdeu.
Entre o que desejei da vida e o que ganhei, só há litígios.

A depressão meus olhos para baixo empurra,
e só ando pelas ruas olhando para meus próprios pés.
Logo eu que sempre achei uma atitude burra
acreditar em sinais e milagres, tive que reconsiderar até.

Cartas de baralho, penas, moedas, números sincronizados…
Todo dia, por todo lado e canto começaram a me aparecer.
Em buscas curiosas pela internet, descobri segredos revelados:
mensagens sobre o futuro; mesmo em meus sonhos ao eu adormecer.

Agora sei que nem tudo explica somente a lógica,
e que não tem problema crer em coincidências e sinais.
Foi confiar no invisível que me tirou de minha vida patológica,
onde as estruturas e regras só me engessavam cada vez mais.

Por Gigi Pormei

Deixe uma resposta