80. Cubram as Câmeras!

Após a refeição, deixaram a sala indo a oeste.
Então, seguiu e Lapilli vigiava se vinha outra peste.
“Uma câmera!”, alertou e ela a tampou, antes de um acidente.
E notando risco, não restou nenhuma sem seda na lente.
Pelo caminho com vidros, viram soldados mirando capturados.
Passaram despercebidos, com os corpos sempre abaixados,
indo sorrateiros o máximo que podiam – tal uma fuga exigia.
Até que mais tiros foram além do que a sua calma suportaria.
Ao cair ao chão de servos exauridos, quis atacar sem perdão.
Lapilli falou: “Foque na missão!”, e concordou, sem encontrão.
Ela não tinha tempo e era desafio ter que aguentar egoísmo,
mas o mago era prioridade para tirá-los daquele abismo.

(Comente e compartilhe meu eBook “Sol e Lua: A Profecia dos Corações Carbonizados” e ajude a divulgar mais a poesia nacional! Ficou na curiosidade? Então continue no Link: https://gigipormei.com/category/meus-livros/sol-e-lua-a-profecia-dos-coracoes-carbonizados/)

Deixe uma resposta