87. As Crianças Escravizadas

Diante do Prédio Crematório subiu em empilhadas caixas
para ver cientistas convulsionando com os ventos das faixas,
sacudindo até o fim, tornando o local ainda mais em cemitério.
Depois à esquerda, viu tropas e escondeu-se com impropério.
Para se manter oculta, andou ao longo de um muro espinhento
até ver reunidos em círculo mais crianças e um militar violento.
Luniel ouviu de longe que ganhariam as tendas: uma graça.
Lapilli falou que cumpriram tarefa e teriam o prêmio na praça,
que era dormir em sua própria tenda coberta e confortável.
Todas acompanharam o capitão que lhes deu lista reprovável.

(Comente e compartilhe meu eBook “Sol e Lua: A Profecia dos Corações Carbonizados” e ajude a divulgar mais a poesia nacional! Ficou na curiosidade? Então continue no Link: https://gigipormei.com/category/meus-livros/sol-e-lua-a-profecia-dos-coracoes-carbonizados/)

Deixe uma resposta